Postagem em destaque

Morada Nova de Minas dá exemplo de Segurança Publica.

GM de Morada Nova no quartel da PM da Cidade A pequena Morada Nova de Minas cidade com 8500 habitantes no Centro Oeste de Minas pode ser...

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Emprego: Bom Despacho divulga edital para processo seletivo simplificado


São 41 vagas de nível médio. 
Interessados podem se inscrever até o dia 7 de março.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
Comente agora
A Prefeitura de Bom Despacho divulgou nesta semana um processo seletivo simplificado destinado a contratação temporária de profissionais para preenchimento de vagas do quadro de pessoal. Entre os cargos oferecidos estão agente comunitário, mecânico, engenheiro e médico do trabalho. Os interessados devem se inscrever até o dia 7 de março, na Prefeitura ou pelo site. São 41 vagas de nível médio, técnico e superior, para contratações por tempo determinado.  Os salários variam de R$ 724 a R$ 1.675,52.

Autonomia.

Imagem inline 1

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Cenas que só vemos em Bom Despacho: Libério montado em Lino

Policia prende suspeitos de assalto a mão armada em Bom Despacho.

ROUBO A MÃO ARMADA CONSUMADO A FARMÁCIA - BOM DESPACHO 


Por volta 22:15 a PM após receber informações via COPOM de que havia ocorrido um roubo na Drogaria SANTA MARIA, deslocou ao local e fez contato com a vítima R.L.S, 47 anos, funcionária da Drogaria, a qual relatou que dois autores entraram no estabelecimento, um deles portando uma arma de fogo de cor escura, e anunciaram o assalto levando a quantia aproximada de R$ 500,00 (quinhentos reais) a R$700,00 (setecentos reais), evadindo em seguida em uma motocicleta, que ela não soube informar a cor, pela Rua CORONEL TININHO, sentido à VILA GONTIJO. A vitima relatou ainda que os autores usavam capacetes de motociclistas e blusas de frio de cor preta, contudo, não soube precisar a cor de tais capacetes e nem maiores características. Imediatamente as viaturas do turno iniciaram o rastreamento na tentativa de localizar os autores e próximo ao nº 04 da Rua GERALDO MAGELA DE OLIVEIRA no final da referida rua, já próximo a um pasto e vegetação, conseguiram com segurança abordá-lo, tendo este arremessado uma arma de fogo próximo ao local da abordagem. No local, com o apoio das demais viaturas, constatou-se tratar de P.C.F.N, 28 anos, vulgo "GOIANO", conhecido no meio policial por forte envolvimento com o tráfico de drogas, sendo algemado para evitar fuga e imediatamente submetido à busca pessoal, sendo localizado com o mesmo a quantia de R$300,00 (trezentos Reais) em dinheiro, alguns documentos pessoais, um celular e a blusa de frio de cor preta que o mesmo utilizava. Ao ser feita a varredura no local onde o autor   arremessou a arma, foi localizada pelo  uma Pistola TAURUS cal. 7,65, municiada com quatro munições CBC intactas, cal. .32 AUTO, sendo que uma delas encontrava-se já na câmara, em condições de disparo. Em seguida, as Guarnições deslocaram até a Rua GAMELEIRA, residência do referido autor e também onde o outro indivíduo havia adentrado, sendo que as demais viaturas encontravam-se cercando o local. Foi feito o adentramento, sendo localizado em seu interior o autor J.A.F, 34 anos, o qual se encontrava muito ofegante e com intensa transpiração, sendo o mesmo algemado para evitar fuga e durante buscas foram encontrados  no armário da cozinha diversas sacolinhas tipo “chup chup”, um rolo de papel alumínio, um rolo de fita isolante e um rolo de plástico, todos comumente utilizados para embalar drogas e ainda um capacete de cor preta, um celular e uma blusa de frio de cor preta de propriedade deste. Em continuidade, o localizou se na área de serviço, enrolado em um edredom, sobre o tanque de lavar roupas, grande quantidade de substância esverdeada análoga à maconha, sendo dois tabletes grandes, um tablete pequeno e uma bucha embalada e pronta para o comércio, pesando um total de 1,956 kg (um quilo novecentas e cinquenta e seis gramas). Foram apreendidos ainda um capacete, um NOTEBOOK, 04 (quatro) celulares, todos de procedência duvidosa. Diante ao exposto foi dado voz de prisão aos autores, sendo que P. foi conduzido ao Pronto Socorro Municipal, uma vez que durante a fuga sofreu escoriações leves nos joelhos, no antebraço e ombro direito, sendo atendido  e em seguida liberado pela médica plantonista, sendo em seguida ambos conduzidos para a DePol juntamente com todo o material apreendido. A motocicleta foi removida pelo socorro Rebocar. 


                                              Assessoria de Comunicação Organizacional do 7º BPM

PM bate em Delegado dentro da Delegacia


Eram 19 horas da última quinta-feira quando PMs da Rota chegaram à delegacia em Rio Claro levando um suspeito que eles acreditavam ser procurado pela Justiça. O delegado fez a pesquisa no sistema e viu que os PMs estavam enganados. Um mandado havia sido expedido em junho e foi cumprido dois meses depois. Não havia nenhum novo pedido na Justiça, o que significava que o suspeito não podia ser preso. Era o motivo para o clima começar a esquentar na sala do plantão. O soldado da Rota insistiu e disse que o sistema havia se enganado. O delgado mostrou os dados ao policial, que não se deu por satisfeito.

O tenente da Rota que acompanhava a cena ao lado começou a rir e a debochar do delegado, que perguntou o motivo das risadas. Ouviu em resposta: “Aqui é Rota e aí é bandido. Água e óleo não se misturam”. Ao mesmo tempo, o tenente apontou uma pistola ponto 40 para o delegado. Advogados e cidadãos que estavam na delegacia acompanharam o barraco. O oficial disse ainda que o delegado era um “bost..” e saiu junto com seus comandados para a varanda da delegacia.

O delegado foi atrás dos PMs para se certificar do nome dos que o agrediam. O tenente fez menção de esfregar seu uniforme na cara do delegado. Em seguida, empurrou o delegado com as duas mãos contra seu peito. O óculos do delegado caiu no chão. Nesse momento, os outros policiais pisaram nos óculos, que quebrou. Alguns advogados no plantão chegaram a filmar a cena com celulares, mas também foram ameaçados pelos PMs. Apesar de agredido, o delegado diz que não deu voz de prisão aos militares por causa das ameaças e pressões que sofreu.

O delegado registrou o boletim de ocorrência, que o autor desta matéria teve acesso e usou para descrever a cena. Este registro também foi enviado aos comandos e corregedorias das duas polícias.

Policiais que mataram nove bandidos na operação em Itamonte serão homenageados na ALMG


A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou nesta terça-feira, 25/2/2014, requerimento de autoria do deputado Sargento Rodrigues para que seja entregue manifestação de aplauso, pessoalmente, aos Policiais Civis e Militares de Minas Gerais e São Paulo, aos Policiais Rodoviários Federais e aos comandantes destas Corporações que participaram da operação que resultou na morte de nove bandidos que faziam parte de uma quadrilha especializada em explosões de caixas eletrônicos. A operação ocorreu no dia 22 de fevereiro no município de Itamonte, no Sul de Minas.

O deputado Sargento Rodrigues parabeniza os policiais pela grande operação. “Jamais na história do Estado vivemos uma ocorrência tão complexa quanto esta. Em dezembro deste ano eu faria 30 anos na Polícia Militar de Minas Gerais e jamais presenciei uma ocorrência assim. Parabéns aos nossos bravos policiais envolvidos nesta operação”, parabeniza.

Durante a operação foram apreendidas três escopetas, cinco fuzis, três revólveres calibre 38, sete pistolas 9 mm e .40, seis bananas de dinamites e duas máscaras. Sargento Rodrigues destacou que há uma enorme omissão do Governo Federal com o tráfico de drogas e armas nas fronteiras. Para ele, apenas os revólveres são de fabricação brasileira.

Bom Despacho demite seus lixeiros


Profissionais protestaram com medo de ficar sem o 13º salário no acerto. 
Prefeito Fernando Cabral diz que o processo é gradativo.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
Comente agora
Profissionais contratados e familiares se reuniram na porta da Prefeitura (Foto: Rosemberg Rodrigues de Castro/G1)Contratados e familiares se reuniram em protesto
(Foto: Rosemberg de Castro/Arquivo Pessoal )
Foram demitidos no início desta semana pela Prefeitura de Bom Despacho, 19 profissionais contratados que trabalhavam  no setor de Coleta de Lixo e Limpeza Pública. Segundo informações do prefeito Fernando Cabral, as demissões fazem parte de um processo gradativo de terceirização desses serviços no município. "De imediato foram demitidos 19, mas essa terceirização será realizada também na parte de capina, varrição e limpeza pública. Ainda devem ser demitidos cerca de 80 profissionais que eram contratados", explicou. 

Por email, o G1 recebeu uma denúncia de que a demissão dos servidores teria relação com o protesto na porta da Prefeitura em busca de garantias. A reportagem ligou para o internauta e ele, que não quis ter a identidade revelada, contou que a demissão causou preocupação entre alguns envolvidos, pois os trabalhadores temiam ficar sem o 13º na hora de fazer o acerto. Contudo, esta hipótese foi negada pelo prefeito, que informou que a decisão da terceirização foi pensada desde o início da gestão e não tem qualquer relação com o protesto ocorrido na porta da Prefeitura nesta segunda-feira (25), e sim com o custo elevado em manter o serviço da forma como está. "Os caminhões compactadores não estão funcionando direito e é uma saída mais viável. Ontem tivemos um pequeno transtorno, mas hoje o serviço de coleta e limpeza já está normalizado. Estamos fazendo um grande esforço para manter tudo em dia. No carnaval, que na cidade é concentrado em determinado ponto, já montamos um esquema de limpeza", explicou.
Valdomiro Firmino da Silva, de 48 anos, é pai de seis filhos é um dos demitidos. Ele fazia o serviço de coleta de lixo há dois meses na Prefeitura. Segundo ele, a forma como a demissão foi realizada e a falta de garantias é o que preocupa. "Hoje chegamos para trabalhar e tivemos que ouvir que os contratados podiam todos irem embora. Fomos orientados a procurar a Prefeitura para que tivéssemos nossos direitos garantidos. O que queremos é que nos seja dada uma garantia por escrito de que vamos receber tudo o que nos é devido, inclusive o 13º salário. Recebemos o apoio de vereadores e até advogados", comentou.
Valdomiro disse ainda que o trabalho de coleta é perigoso e que um colega chegou a machucar a mão. "Existe o risco de cortes, tem muitos cacos de vidro, materiais cortantes, a gente deveria até ter gratificações", relatou.
Ainda sobre o protesto e o 13º salário, Fernando Cabral afirmou que os demitidos acreditavam que não receberiam no acerto e que por este motivo fizeram a manifestação. De acordo com o prefeito, o boato surgiu por meio de uma servidora. "Ela se baseou na lei, e como eram contratos temporários não havia necessidade de pagar o 13º. No entanto, existe uma lei municipal que exige que no caso de contratados temporários da Saúde esses valores são devidos. Esses profissionais não se enquandram nessa lei municipal, mas numa medida de isonomia, vamos estender esse benefício a eles, portanto receberão o 13º junto com o acerto", afirmou.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Mulheril no comando da Polícia em Minas



DELEGADAS COMANDAM QUASE METADE DAS DELEGACIAS DE MG


Atualmente são 349 na corporação; número subiu 150% nos últimos 20 anos


Read more at http://blogdocabojulio.blogspot.com/2014/02/delegadas-comandam-quase-metade-das.html#VB101BB0ChuoDye8.99

Fabrica de tênis desaba em Nova Serrana


Informação é dos bombeiros, que isolaram o local onde ocorreu o acidente. 
Um dos feridos foi transferido e os demais atendidos na UPA e liberados.

Do G1 Centro-Oeste de Minas
2 comentários
Estrutura metálica desabou em fábrica de Nova Serrana (Foto: Luciano de Assis/Jornal O Popular)Estrutura metálica desabou em fábrica de Nova
Serrana (Foto: Luciano de Assis/Jornal O Popular)
Continua isolado o local onde parte de uma estrutura metálica de uma fábrica de calçados desabou nesta quarta-feira (26), em Nova Serrana. Segundo informações do sargento do Corpo de Bombeiros, Leonardo Leite, um funcionário de 20 anos que teve ferimentos no rosto precisou ser transferido para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Ainda segundo ele, quatro pessoas foram atendidas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) devido à crises nervosas e uma outra com ferimentos leves. "O pessoal ficou bastante assustado, mas somente um dos feridos teve gravidade. Uma pessoa chegou a desmaiar", explicou.
A estrutura que desabou tem cerca de 80 metros quadrados e uma altura de quatro metros. O  funcionário que ficou ferido com gravidade estava embaixo da estrutura no momento da queda. "Acreditamos que o excesso de peso possa ter sido a causa do acidente. Eles guardavam muitos materiais em cima", relatou o sargento. 
Alguns funcionários ainda fazem a retirada de matérias primas do local. Outros 100 metros da mesma estrutura ficaram comprometidos e precisarão passar por reformas.

TV ALTEROSA homenageia Militares da 19º CIA de Para de Minas.

19ª Cia Ind recebe troféu da TV Alterosa
Em Pará de Minas, a 19ª Companhia PM Independente recebeu a equipe da TV Alterosa de Divinópolis, que entregou à Unidade, do Troféu Pega ou Não Pega, criado pela emissora para premiar pessoas ou instituições que se destacam na Segurança Pública no Centro Oeste mineiro.  Foi a primeira edição do troféu, idealizado há alguns meses pela produção do noticiário Alterosa Alerta, da emissora. Segundo os jornalistas, a Unidade de Pará de Minas foi escolhida pelo desempenho na promoção de Segurança Pública, não só pelo número de prisões e apreensões de infratores, mas pelo conjunto dos trabalhos desempenhados, incluindo também o atendimento à imprensa.
19ª Cia Ind recebe troféu da TV Alterosa19ª Cia Ind recebe troféu da TV Alterosa
                A equipe da Alterosa (apresentador Cláudio Miranda, os repórteres Ricardo Miranda e Priscila e pelo cinegrafista César) visitou a 19ª Cia PM Ind e entregou o troféu ao Comandante da Unidade, Major Rocha, que agradeceu ao prêmio, afirmando que “muito honrou a Unidade, pela grande visibilidade que a emissora e seu noticiário policial tem em toda a região e especialmente por ser a primeira edição do troféu”.  “O prêmio é mais um incentivo para os militares da Unidade a se dedicarem ainda mais na garantia da segurança da população”, disse o Comandante da 19ª Cia PM Ind.

OPERAÇÃO CONJUNTA “DIVISA SEGURA” APREENDE GRANDE QUANTIDADE DE DROGAS EM BOM DESPACHO


Na noite de 25 de fevereiro de 2014, no posto da Polícia Rodoviária Federal às margens da BR 262, na cidade de Bom Despacho/MG, em uma ação conjunta da Polícia Militar (7º Batalhão e 7ª Companhia de Meio Ambiente e Trânsito), Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil e fiscais do IMA denominada Operação Divisa Segura, apreenderam através de uma abordagem de um veículo 09 kilos e 60 gramas de crack e 02 kilos e 500 gramas de cocaína. O veículo foi abordado por uma equipe de militares após suspeitar de um primeiro condutor, já conhecido no meio policial, ter sido abordado de maneira que levantou suspeição de que algo poderia advir após aquela intervenção policial. Toda droga apreendida encontrava-se no interior do veículo, sendo apreendida e seu condutor e responsável pelas drogas recebido voz de prisão em flagrante. Ainda foram apreendidos 05 aparelhos de telefonia celular, 01 veículo Fiat Uno com placa de Lagoa da Prata, 02 pen drives, 01 balança de precisão, 01 faca, 01 cheque no valor de R$ 11.622,00, 01 talão de cheques e mais R$ 872,00 em dinheiro. O registro da ocorrência ficou a cargo da Polícia Rodoviária Federal e todos envolvidos (preso; condutor da ocorrência e responsável pela voz de prisão) deslocaram para a Delegacia de Polícia Civil para apresentação à autoridade de Polícia Judiciária.


Assessoria de Comunicação Organizacional – 7º BPM

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Tributo aos Policiais Heróis que colocaram sua vida em risco em Itamonte.

RELATO DR. ANDRÉ BARLETA SOBRE O OCORRIDO NO SUL DE MINAS. REALMENTE, SER POLÍCIA É FODA, EM TODAS AS ACEPÇÕES DO TERMO! PARABÉNS!


Na sexta-feira, por volta das 18h30, fomos convocados (todos os policiais civis da DRPC de São Lourenço) a comparecer na DP imediatamente.

Ato contínuo, o Dr. João, chefe do 17 Departamento de Pouso Alegre indicou que deveríamos ir até a Seccional de Cruzeiro/SP para o briefing do que estava para acontecer.
Descemos para Cruzeiro/SP: eu, o Dr. Felipe Piccin, Dr. Bruno Cunha e os Investigadores Rodrigo e Maviel. No caminho fizemos contato com alguns Investigadores da DIG de Cruzeiro/SP que sempre nos dão apoio e os mesmos não sabiam de nada.

Chegamos na Seccional da PC-SP em Cruzeiro acompanhados dos policiais civis da DIG Cruzeiro/SP. Na Seccional nenhum Delegado (nem o próprio Seccional) ou os policiais sabiam o que estava acontecendo.
Após cerca de meia hora chegaram cerca de 8 viaturas descaracterizadas do DEIC/SP (Capital), estando presente o Divisional (Delegado chefe do DEIC) e o titular da DP de Roubo a Bancos de São Paulo.
Não vem ao caso repassar informações sobre o briefing mas, em suma, após alguns momentos ali compareceram mais umas 8 equipes do GARRA da Capital/SP e 1 unidade do GER da PC-SP com 8 snipers e policiais de contenção.

As informações davam conta de uma quadrilha de roubo a bancos (explosões de caixas) com cerca de 25 integrantes.

Haviam sido identificados 5 fuzis AK-47, 1 fuzil HK-G3, 2 fuzis Colt AR-15, escopetas, pistolas e granadas.
Não repassarei os pormenores das informações que estavam sendo repassadas, mas todo os erviço de inteligência estava a cargo do DEIC, em São Paulo-CP. E a inteligência funcionou perfeitamente.
Os alvos poderiam ser Itanhandu ou Itamonte.

O Dr Bruno Cunha acompanhou uma outra equipe, restando à nossa equipe (eu, Dr. Felipe Piccin e 2 investigadores de São Lourenço) posicionarmos o GER (Snipers) e o GARRA (contenção) na Praça Central de Itamonte e, posteriormente, posicionarmo-nos na rodovia acompanhados de 4 equipes do DEIC/SP no intuito de coibir uma possível fuga.

Equipes posicionadas, conseguimos que mais uma equipe da DRPC de São Lourenço, comandada pelo Dr. Márcio Ciarini, se agrupasse conosco.
Aguardávamos às margens da rodovia, escondidos na escuridão, com informações em tempo real da Inteligência da PC-SP.

Por volta das 2h00 um comboio furou o radar próximo e passou no sentido do centro de Itamonte em alta velocidade. Conseguimos ver perfeitamente: um caminhão baú, um Fiat Palio Weekend prata, uma Ford Ecosport prata, um Honda Civic preto e um Renault Duster branco, todos com as placas cobertas por plástico.
Adrenalina a mil, pois tínhamos o elemento surpresa.

Repassamos as informações às equipes da região central de Itamonte.
Passaram-se eternos 2 ou 3 minutos e, no rádio, recebemos as informações de que já haviam 3 ou 4 mortos, um policial ferido, e intensa troca de tiros.

Paramos uma carreta que vinha pela rodovia e a atravessamos na pista para auxiliar no bloqueio.
Após algum tempo o Renault Duster veio em nossa direção. Parou há aproximadamente 30 metros com os faróis acesos. O motorista desceu já efetuando rajadas de fuzil, enquanto o carona portava uma pistola. Conseguimos neutralizar o carona, mas o motorista fugiu para um matagal próximo.



Minas volta a mostrar que como na época de José Rezende que aqui bandido não tem vês.
Enquanto discutíamos sobre entrar ou não no matagal onde o motorista havia se escondido aproximamo-nos do veículo, perdendo nossa barricada, que eram as viaturas e a carreta.
No veículo pudemos perceber que o carona havia sido morto, portava uma pistola, usava colete balístico, havia mais uma pistola caída no chão do carro, e muita, mas muita munição para todos os lados.
Neste momento, um outro veículo se aproximou com os faróis altos.
Abaixamo-nos próximo ao Renault Duster, mas estávamos sem qualquer barricada.

O veículo passou em baixa velocidade em direção à carreta e as viaturas que encontravam-se com as luzes de sinalização ativadas, retornou e lentamente veio em nossa direção.
Nossa única alternativa foi esperar.

Quando o veículo se aproximou nos identificamos como policiais e determinamos que o condutor parasse o carro. Como todos aqui certamente já fizeram diversas vezes.
Estávamos (cerca de 25 policiais) distantes de 5 a 15 metros de distância do carro. Agachados às margens da rodovia sem qualquer proteção.

A resposta que obtivemos: tiro, tiro, tiro, muito tiro. Eu me lembro de cada segundo, mas não posso dizer quando conseguirei esquecer as imagens e os sons.

Posso afirmar categoricamente que foram os mais longos e piores 30 ou 40 segundos da minha vida. Eu estava há aproximadamente 8 ou 9 metros do carro, o Dr. Felipe estava mais próximo do que eu e não sei dizer onde o Dr. Márcio estava.

Muito tiro. Muito perto.
Pude visualizar o motorista descer e tentar correr efetuando disparos em nossa direção. O carona estava com um colete balístico operacional, touca ninja preta e um AR-15 baby. O passageiro do banco de trás eu não consegui visualizar.

Resumindo: o motorista foi neutralizado. O carona foi neutralizado com um disparo na cabeça e morreu com abraçado ao AR-15 (cena de filme). O passageiro do banco de trás foi neutralizado com um disparo na cabeça, mas, após o cessar fogo, pudemos perceber que o mesmo portava dois carregadores de fuzil, uma pistola e estava de colete balístico.

Reagrupamos e retornamos à barricada. Apenas o Dr. Felipe Piccin havia sido ferido por um estilhaço abaixo do olho direito, mas nada grave.

Em nosso cenário: 4 criminosos neutralizados e 1 fuzil, 3 pistolas, 3 coletes balísticos e vários pés-de-cabra apreendidos. 1 foragido.
Nunca poderei dizer em quantas coisas consegui pensar naqueles poucos segundos em que eu estava deitado, costas ao solo, visualizando os caras apontando fuzil, pistola e disparando em nossa direção (estamos falando de 6, 7, 8 metros de distância). Sei lá, mas 200 ou 300 tiros em 30 segundos.
Pensei muito em ficar vivo. Pensei em neutralizá-los o mais rápido possível. Sempre gostei do trabalho operacional, nunca imaginei que fosse querer tanto que aquilo ali acabasse logo. É tenso. Escutei um disparo estilhaçar um tronco de árvore uns 50cm acima da minha cabeça e eu estava deitado.

Pode parecer brincadeira, mas depois que acabou, ainda me refazendo de tudo que havia acontecido ali, eu pensei em todas as vezes em que saí para cumprir Mandados de Busca e de Prisão e outros policiais zombaram: "qual é, vai pra guerra?", "pra que levar isso tudo de coisa?" ou "tá parecendo o Rambo!".

Pensei nas vezes em que viajei pra BH, 450Km pra ir e depois 450Km pra voltar, sem diária, sem lugar pra dormir (bate e volta), ia na Superintendência, não havia um Delegado de Polícia que tivesse a dignidade de nos receber e eu era obrigado a ouvir de um tal de "Marcinho", que eu nunca ouvi falar que tenha prendido alguém, que não tinha nada pra dar não. Não tem munição, não tem colete, não tem arma. Como se estivesse me fazendo um favor. Quantas vezes supliquei e saí dali com míseras 50 munições como se estivesse cometendo um crime. Era o nosso "cala a boca". Era o que o "Marcinho" (???) tinha para nos fazer parar de encher.

Pensei no dia (e me lembro muito bem de cada palavra) em que Policiais da Superintendência foram até a Delegacia Regional de Itajubá, onde trabalhávamos eu e o Dr. Felipe Piccin (ele me persegue) e nos determinaram que entregássemos nossas pistolas, pois cada policial: "só tem o direito de ter uma arma". Ao serem questionados pelo Dr. Felipe Piccin se nunca haviam ouvido falar que em confrontos sempre existe a necessidade de portar-se uma arma backup os mesmos limitaram-se a dar uma risadinha.
Entregamos nossas pistolas backup.

No confronto o Dr. Felipe Piccin foi lesionado por um estilhaço de projétil abaixo do olho direito. Vocês podem achar que eu estou brincando, mas a pistola dele teve uma pane em dupla alimentação. Eu não vi na hora, só fiquei sabendo depois. Ele não portava arma longa.

Eu juro que se o Dr. Felipe fosse morto ali e posteriormente restasse comprovado que sua arma apresentara pane de alimentação, estando o mesmo sem backup, eu iria até a Superintendência.
Bom, não vem ao caso entrar agora nesta discussão.

Reabrigamos e após algum tempo chegaram nossas viaturas de reforço.
Cerca de 40 minutos depois chegou a PRF e teve o absurdo trabalho de sinalizar a rodovia.
Chegaram umas 10 viaturas da PM. Não posso dizer que eles não estiveram no local do confronto. Estiveram. Uma hora depois e para tirar fotos e nos cumprimentarem do boca aberta.

Fomos até o centro de Itamonte para verificar o que havia ocorrido no local.
Na Praça Central e proximidades os Snipers e a contenção conseguiram neutralizar 5 indivíduos. Outros dois foram alvejados e socorridos.
Alguns evadiram-se.

Foram apreendidos 3 fuzis, 2 escopetas calibre .12 (sendo uma semi-automática) e diversas pistolas e revólveres (não contei). Todos os criminosos estavam de colete balístico.
Muita dinamite e vários pés-de-cabra.

Um indivíduo que havia sido alvejado contou que eram cerca de 15 indivíduos apenas no caminhão.
Na praça, cujo centro estava isolado, a população se aglomerou. Fomos saudados e aplaudidos.
Quando saíamos da área de isolamento conseguíamos dar poucos passos sem ser cumprimentados com largos sorrisos de sincero agradecimento.
Ahh, sim... A Polícia Militar chegou na praça e, depois, começou a sobrevoar um helicóptero deles. Eles estavam com uma cara de mau que dava até medo.
Eu olhei para o helicóptero, pensei naqueles infernais segundos que havia passado poucas horas antes e comentei com um Investigador ao meu lado: poxa, bem que eles poderiam amarrar uma faixa no helicóptero com os dizeres "Obrigado Polícia Civil!".

O investigador riu e me sussurou: Dr, eles ainda vão sair na televisão dando entrevista, o Sr duvida?.
Ainda bem que eu não duvidei.

Bom, aqueles grupos da elite da PC-SP que inicialmente estavam meio de narizinho em pé conosco ao final já estavam até nos admirando. Gostaram de ver como, com tão pouco, em nenhum momento nós trememos. Fomos elogiados e enaltecidos. Falar que não dá medo é mentira. Quem não sentir medo em uma situação daquela merece estar morto.
Apenas para finalizar:
1. Os jornalistas deturparam os fatos em todas as matérias e em todos os meios de comunicação.
2. A Polícia Militar não participou de nada. Nada, nada, nada, nada. Levantem a cabeça para qualquer PM pois eles não suportam perceber o quanto somos foda.
3. Chefia não é tudo, mas é muito, muito mesmo. Nosso chefe de Departamento Dr. João Eusébio esteve presente em Itamonte, depois em São Lourenço. Abraçou a causa e nos deu total suporte para tranquilizar-mo-nos em face da ação legítima.

Treinem bastante, o confronto acontece em segundos e, embora alguns textos por aqui postados sobre a formação do criminoso, o quão eles são coitadinhos, blá, blá, blá, não duvide: eles querem te matar.
Não adianta identificar-se como policial e determinar-lhes que se coloquem em posição de busca. Eles não conseguem escutar quando estão efetuando rajadas de fuzil tentando acertar a sua cabeça.
A Polícia Civil de Minas Gerais têm muito o que melhorar, tanto em técnicas de combate quanto em material, mas não ficamos abaixo de ninguém em coragem e bravura.

A próxima vez que eu escutar de um administrativo que não irá me depositar uma arma ou munições ou o equipamento que for porque EU não preciso daquilo eu espero muito que ele tenha um argumento bem forte.
Não é pelo dinheiro dos bancos preservado. Nada paga você virar uma noite em claro, situações de confronto, corpos caídos pela praça e Senhoras de 50 ou 60 anos agradecidas virem até você às 5h ou 6h da manhã com um sorriso no rosto e garrafas de café com biscoitinhos.
Ser polícia é foda.

Antecipadamente peço desculpas por palavras mais rudes, não é meu estilo, mas a ocasião é excepcional.
Força e honra a todos que diuturnamente se expõe com um ou dois companheiros cumprindo MBA's ou Mandados de Prisão no meio de favelas, matagais e etc sem o mínimo de equipamento necessário.
Somos todos heróis.

Força e honra.n
Fiquem com Deus.
André Barleta
Delegado de Polícia - DRPC de São Lourenço

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Delegados decidem em Congresso que Investigador não pode ter a mesma remuneração do Perito e este não pode ser remunerado como Delegado

Pelo visto, não é a apenas a forma de tratamento que mudará na cabeça dos delegados. Essa é a visão dos Delegados que será exposta no Congresso em abril de 2014.
Na visão deles, não passamos de auxiliares:
“o Delegado de Polícia conta com o apoio de auxiliares, seja para as atividades cartorárias (escrivão de polícia), seja para atividades de campo e análise (agente de polícia), seja para atividades técni­cas e científicas (peritos e papiloscopistas de polícia).”

Também devemos receber menos que eles:

“Conforme deliberado em item acima, conclui­-se que os peritos são auxiliares dos Delegados na atividade de Polícia Judiciária. Desta forma, é insustentável que recebam a mesma remunera­ção (subsídio) daqueles a quem auxiliam. Por sua vez, as atividades desenvolvidas pelos peritos são de maior complexidade às desenvolvidas pe­las outras carreiras auxiliares, justificando que recebam remuneração superior aos escrivães, agentes e papiloscopistas.”


E querem que os peritos fiquem dentro das delegacias, querem a extinção dos institutos, pois os peritos não passam de auxiliares:

“Enfrentou-se, ainda, a função da atividade pe­ricial na investigação criminal, chegando-se à conclusão que os exames laboratoriais e técnicos são meras atividades do processo investigativo e, portanto, integrantes da investigação criminal, conduzida pelo Delegado de Polícia Federal (item 1.4.11). Assim, os peritos devem estar lotados pre­ferencialmente nas delegacias e não em núcleos próprios vinculados ao Superintendente Regio­nal, com exceção dos laboratórios especializados, os quais devem estar vinculados ao Diretor de Investigação Criminal, em âmbito central, e ao DRCOR, em âmbito regional.”


Assaltantes invadem empresa e roubam 40 mil em Nova Serrana.

Veja o video a parceira Alterosa,

                   

Policia manda 9 assaltantes "viajar" no Sul de Minas.

Criminosos foram cercados após explosão a caixa eletrônico em Itamonte. 
Pelo menos 9 suspeitos foram mortos na ação e 5 pessoas ficaram feridas.

Do G1 Sul de Minas


Uma troca de tiros entre uma quadrilha de assaltantes e policiais terminou com a morte de pelo menos nove criminosos e deixou cinco feridos, entre eles um policial civil, durante a madrugada deste sábado (22) em Itamonte (MG). Segundo a Polícia Civil,  quadrilha agia em várias cidades do interior de Minas Gerais e de São Paulo.

Segundo a Polícia Civil, por volta das 2h os criminosos explodiram caixas eletrônicos do Banco Bradesco e durante a ação, foram cercados pelos policiais, que já tinham informações sobre a possibilidade do assalto. O grupo estava dividido e se dirigiu para duas agências da cidade. Durante a ação, houve troca de tiros e nove suspeitos morreram baleados. Os corpos foram levados para o IML de São Lourenço (MG).


Durante da ação em Itamonte foram apreendidos fuzis, espingardas calibre 12, pistolas, dinamites, munições e coletes à prova de bala.
De acordo com as primeiras informações da polícia, oito suspeitos mortos eram de Mogi das Cruzes (SP) e um era de Itanhandu (MG). Um policial civil foi atingido no ombro por um disparo feito por um fuzil. Ele foi socorrido em um helicóptero e levado para São Paulo (SP).

Ao todo, mais de 100 policiais civis e militares de Minas Gerais e de São Paulo participaram da ação. A Polícia Rodoviária Federal também apoiou a operação. Embora os policiais tenham cercado a cidade, alguns criminosos conseguiram fugir. Segundo o chefe do Departamento de Polícia de Pouso Alegre (MG), João Eusébio Cruz, a quadrilha já vinha sendo investigada há pelo menos três meses e ele acredita que ela seja formada por 20 pessoas.

Um homem de 26 anos foi preso pela Polícia Civil de Mogi das Cruzes em um condomínio de luxo na cidade de Arujá (SP). Com ele, foram apreendidos uma moto, veículos e dinheiro manchado com tinta vermelha, proveniente do sistema de segurança dos caixas eletrônicos.
Pelo menos nove criminosos foram mortos durante ação em Itamonte (MG) (Foto: HENRIQUE COSTA/CPN/ESTADÃO CONTEÚDO)Pelo menos nove criminosos foram mortos durante ação em Itamonte (MG) (Foto: Henrique Costa/CPN/ESTADÃO CONTEÚDO)

Um suspeito, que fugiu a pé por um matagal, está sendo perseguido pela polícia.