Postagem em destaque

Adolescente de 16 anos é apreendido pela 41ª vez em Pompeu.

Dupla de adolescente foi presa com mais de um quilo de maconha, crack e cocaína. Dois jovens foram apreendidos na tarde deste sábado em ...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Policia Militar em greve em BH: Rotam crusa os braços.


Cidadão de BH, cuidado ao sair de casa, você estará desprotegido, o blog apurou que os serviço de inteligência da Policiai Civil já detectou planejamento de assaltos as agências bancarias da região metropolitana devido à paralisação dos serviços de prevenção por parte da Polícia Militar.
A população poderá ficar desprotegida.

Veja abaixo a matéria que esta sendo divulgada em um dos blogs ligados a PM:

" As 03 Companhias estão fazendo greve branca. Saem para a rua, respondem o rádio mas não empenham, Não prendem ninguém, não incursionam, não verificam denúncias 181. Estão todos aglomerados próximos a área central de BH. Braços cruzados mesmo!!!



Repassem  pra quem vocês puderem por favor e vamos ver se ganhamos a adesão de outros militares... Se boa parte da PM segurar o pé, a sociedade e os governantes vão sentir diferença... aí sim poderemos e ganharemos muitas das coisas que pleiteamos, inclusive o respeito da sociedade, dos políticos e da imprensa que condenaram e executaram o Cabo Fábio, pressionando-o não dando o direito de defesa, se são culpados cabe a justiça decidir.

" O Secretário de Estado de Defesa Social, Deputado Lafayette Andrade, ao fazer um julgamento público dos 4 Policiais Militares da Rotam, tachando-os de “bandidos fardados”, viola o princípio constitucional da presunção da inocência, do devido processo legal e da ampla defesa e do contraditório. 
Ao Secretário de estado, Gestores máximos do sistema de Defesa Social em Minas Gerais, não convêm uma afirmação desta natureza, que atinge a todos os policiais, com consequência direta na produtividade, pois sinaliza aos mesmos que estão jogados à própria sorte. Afinal, no dia a dia do policial, há sempre o risco de um confronto, que pode resultar em ferimentos de ambos os lados. E se a posição do Secretário for a de sempre condenar publicamente primeiro, para depois apurar, não haverá motivação pessoal para o enfrentamento que a criminalidade violenta exige do policial. 
Este discurso, só atende aos interesses dos criminosos violentos, em especial aos traficantes de drogas e armas, assaltantes, que quase sua totalidade de ações estão armados e dispostos a toda sorte de risco, para conseguir seu intento. Assim ficará fácil o domínio de território por parte de traficantes, cuja lógica de atuação consiste em demarcar e dominar territórios, aterrorizando a população" .(ASPRA)



Me parece que terça a PM vai marchar em direção a ALMG.



Vamos ver no q vai dar!!!"

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Polícia Civil de Bom Despacho apreende carga de roubada de algodão.

A Policia Civil de Bom Despacho, Oeste de Minas apreendeu uma carga  de plumas de algodão, no valor de R$ 259.310,00 (duzentos e cinqüenta e ove mil e trezentos e dez reais), que estavam no caminhão trator de placas IJO-7974 acoplado ao semi-reboque de placa AAI-3094, que era conduzido pelo motorista RUBENS JOSÉ RIBEIRO.



A carga de algodão pertenceria  a empresa “LOUIS DREYFUS COMMODITIES BRASIL S.A.”, sediada na cidade de Paraguaçu Paulista/SP e a compradora seria a empresa “KURASHIKI DO BRASIL TEXTIL” que possui uma de suas filiais na cidade de Pontra Grossa/PR, local onde deveria ser entregue a carga.

Porem estaria sendo levada para Montes Claros.


Secretário de Defesa chama soldado morto de bandido de farda.

O enterro do cabo Fábio Oliveira, encontrado morto na manhã de sexta-feira em uma cela do 1º Batalhão da Polícia Militar, ocorreu sob clima de tensão na tarde deste sábado no Cemitério Parque Belo Vale, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Durante o sepultamento, a imprensa foi hostilizada por policiais e familiares do militar.

Em entrevista a TV Alterosa o Secretário de Defesa Social Lafayete Andrada chamou o Cabo morto de bandido de farda, o fato foi um  tapa na cara de toda a corporação. Sem ser julgado os policiais já haviam sido condenados e usados como bode expiatório (veja matéria anterior em nosso blog) para desviar o foco do verdadeiro problema que tomou conta do aglomerado da Serra. 
Uma morte muito suspeita de um profissional treinado para resistir a pressões, e um justificativa surreal do Coronel que comandou o linchamento moral de seu subordinado a de que para evitar que o Cabo suicida-se seria necessário deixa-lo nu na cela.


Veja abaixo o vídeo onde o Secretário de Defesa Chama o policial morto de bandido de farda.


sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Policial usado como bode expiatório e condenado sem ser julgado se mata na cela.

A equipe da Pericia chega ao local onde o policial se enforcou.
O cabo Fábio Oliveira, acusadoo de envolvimento nos assassinatos de Renilson Veriano da Silva, que completaria 40 anos nessa segunda-feira, e Jeferson Coelho da Silva, o Jefinho, de 17, no Aglomerado da Serra, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, morreu na manhã desta sexta-feira. A informação foi confirmada pelo tenente-coronel Alberto Luís.

Segundo o militar, Fábio, que era comandante da guarnição envolvida no caso, estava preso no 1º Batalhão e teria se enforcado com o cordão da calça. Ele e mais três militares foram presos na quarta-feira. A Justiça Militar acatou o pedido do presidente do inquérito policial militar (IPM), Rinaldo Azevedo, que entrou com uma representação na Justiça pedindo a prisão deles. Os militares foram ouvidos na corregedoria da PM, e já saíram de lá presos.

Até agora não se tem noticia de que a Comissão de Direitos Humanos tenha dado apoio a familia do policial

Caso Aglomerado da Serra: Cúpula da PM joga seu praças aos leões e protege seu oficial.


Os quatro militares, sendo um sargento e três soldados,  envolvidos nas mortes de Renilson Veriano da Silva, que completaria 40 anos nessa segunda-feira, e de Jeferson Coelho da Silva, o Jefinho, de 17, no Aglomerado da Serra, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, foram presos na tarde desta quarta-feira.

A Justiça Militar acatou o pedido do presidente do inquérito policial militar (IPM), Rinaldo Azevedo, que entrou com uma representação na Justiça pedindo a prisão deles. Os militares foram ouvidos nesta tarde na corregedoria da PM, e já saíram de lá presos. Eles vão ficar em unidades diferentes.
Já o Tenente envolvido recebeu tratamento diferente, sequer foi indiciado.


Com um salario de 2 mil reais por mês, ganhando menos do que um motorista de ônibus, os Soldados da PM são treinados para matar, isso fica muito evidente no filme Tropa de Elite. Com um efetivo de mais 50 mil homens, recebendo dois mil reais por mês e com família para criar, os PMs que vivem em BH  fazem todo o tipo de bico, alguns, como no filme tropa de Elite, tem como patrões aquele que deveriam prender.
Funciona mais ou menos assim, o Governo faz de conta que paga bem seus policiais e os policiais fazem de conta  que dão proteção a população.

Nas madrugadas escuras dos becos nos morros e favelas vale tudo para voltar vivo para casa e, quem sabe com um dinheirinho a mais para o leite das crianças. de tempos em tempos acontece um imprevisto e os fatos caem no conhecimento da imprensa, ai o bicho pega, os políticos pousam no local como os urubus na carniça e os mandachuvas pegam alguém de menor importância (praças como sempre) como bode expiatório e os manda para a cadeia sem sequer contar com a constitucional presunção da inocência.

Ampla defesa? Esses termos não existem no dicionario militar. Sacrificam-se quatro soldados e todos ficam felizes até que outro escorregão chegue ao conhecimento da mídia. 

Laudo da Pericia que comprovava sevícias contra escrivã foi jogado no lixo para proteger Delegados.

As sevícias decorrentes da violência empregada na humilhante “revista íntima”  feita na escrivã V.F.S.L. por dois delegados da Corregedoria da Policia Civil de São Paulo foram constatadas pelo Instituto Médico Legal. O exame de corpo de delito foi realizado em 16 de junho de 1009,  dia seguinte à sua prisão em flagrante.
O laudo, assinado pelo médico-legista Marcus A. P. Telles, atesta que ela sofreu “lesões de natureza leve”. Foram encontradas equimoses no tornozelo direito e no punho esquerdo. O legista também anotou que V. “não quis retirar a calça para exame das pernas pois estava muito abalada emocionalmente”. A Corregedoria havia afirmado que os métodos empregados na lavratura do flagrante foram “adequados”. As imagens da humilhação imposta à servidora foram divulgadas em primeira mão pelo Blog do Pannunzio e pela Rede Bandeirantes (veja aqui na íntegra).
Apesar da constatação, o promotor Lee Robert Kahn da Silveira, que esteve a cargo da inquérito policial instaurado para apurar os excessos dos delegados-corregedores, desprezou a prova em seu parecer, que resultou no arquivamento do inquérito. Não há uma menção sequer anotada no texto a qualquer tipo de marca ou ferimento. Os advogados de V. não sabem se a peça foi juntada ao inquérito.
Caso não tenha sido juntado, o laudo pericial pode provocar a reabertura do caso, como desejam os promotores do GECEP (Grupo Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial) do Ministério Público paulista. De acordo com o Artigo 18 do Código de Processos Penal, só é possível reabrir um processo arquivado por determinação judicial quando surgem novas provas, que não foram consideradas no curso da primeira investigação.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Escrivã sem calça derruba Delegada Corregedora.

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, destituiu nesta quinta-feira de seu cargo a corregedora-geral da Polícia Civil, Maria Inês Trefiglio Valente.
Vídeo do caso da escrivã abre crise na Polícia Civil de SP
OAB já havia alertado secretário sobre vídeo no caso de escrivã
Promotoria investiga caso em que delegados despiram escrivã
Secretaria afasta delegados suspeitos de abuso contra escrivã
Alckmin diz ser grave vazamento de vídeo de escrivã despida
Caso de delegados que deixaram escrivã nua é arquivado
Reportagem publicada hoje na Folha revela que a divulgação do vídeo que mostra delegados da Corregedoria tirando à força a calça e a calcinha de uma escrivã durante uma revista abriu uma crise na instituição.
Segundo o texto, durante a reunião semanal do Conselho da Polícia Civil, na manhã de ontem (23), a corregedora-geral, que apoiou a ação dos quatro delegados que investigaram a escrivã, foi pressionada publicamente a deixar o cargo por 5 dos 23 delegados da cúpula da instituição.
A crise interna na Polícia Civil foi impulsionada porque a divulgação da gravação da operação policial foi destaque em todo o país. Os envolvidos foram afastados. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou, após a divulgação das imagens, que o vazamento do vídeo na internet era "grave".

Times de Pompéu recebem tratamento diferenciado pela Secretaria de Esporte.

CAP
Chegou na Câmara Municipal de Pompéu um projeto de lei que altera as subvenções concedidas aos times de futebol da cidade, a secretaria responsável pela área é a da Cultura e Desportos, na lei anterior os times receberiam o mesmo valor mas com a alteração os valores mudaram.
O Clube Atlético Pompeano é o que vai receber o maior valor R$ 17.156,00; e o Avaí Futebol Clube o menor R$ 10.400,00.

Cristalino


AVAÍ
Projeto de lei que privilegia um dos times de Pompéu.
O Vereador Experidião Porto vai fazer uma emenda igualando os valores pela média "não acho justo um time que luta com as mesmas dificuldades dos outros receber menos dinheiro, sou torcedor do Cristalino, não quero que meu time receba mais, mas não está correto que ele e o Avaí recebam menos, o dinheiro a ser repassado provem dos impostos que todos os pompeanos pagam  e deveria ser técnico, a Secretaria do esporte não deveria privilegiar nenhum time" afirmou Porto que poderá convocar na Câmara o secretario do Esporte para dar explicações.


Policia de Pompéu e Abaeté nocauteia o trafico de drogas no Centro Oeste de Minas.

Os dois presos em Pompéu, ligações com Fernandinho Beira-Mar.
O GICC -POMPEU-MG, (Grupo de Inteligencia e Combate ao
Crime) composto por policiais civis da Cidade de Pompéu, centro Oeste de Minas prendeu nesta quarta-feira no Distrito de  Angueretá, município de Curvelo,   FABIO DINIZ o LIGEIRINHO e ISAIAS  o GURI os dois estavam sendo procurados pela Policia Federal  e Civil em todo o Brasil e, segundo a policia.  teriam ligações com o Grupo do traficante Fernandinho Beira-Mar  que foi transferido recentemente para a Penitenciaria de Segurança máxima de  Mossoró no RN.
Os dois homens presos em Pompeu seriam responsáveis pelo fornecimento de drogas em todo o Centro oeste Mineiro  e acreditavam que a policia das cidades do interior jamais conseguiriam chegar até eles. Foram surpreendidos pelos Investigadores de Pompéu que já na semana passada haviam prendido um de seus vendedores com dois quilos de crack, ontem foi Abaeté com 8 kg de maconha. Sem recursos os policiais pompeanos usaram carros emprestados pelo CONSEP da cidade para chegar até o esconderijo dos traficantes.
O Traficante Fernandinho Beira-Mar que fugiu pela porta da frente de uma delegacia em Belo Horizonte.
As polícias de Abaeté e Pompéu realizaram grandes apreensões nos últimos dias, um duro golpe no tráfico regional. Os conterrâneos do nosso colaborador José Cirilo de Vargas que é de Abaeté e os descendentes da Dona Joaquina do Pompéu devem estar orgulhosos dos seus policiais.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Escrivã que teve a calça arrancada por Delegado dentro da delegacia dá sua primeira entrevista.


Reinaldo Gottino entrevista a escrivã do cartório do 25º Distrito Policial que foi despida à força por oito policiais que pretendiam revistá-la. Ela conta que se sente humilhada quanto mulher e desrespeitada como profissional.

Polícia de Abaeté tira de circulação mais 8kg de droga.

Como diria um abaeteense típico: tem base?
Operação "Folia  sem Drogas" continua a produzir resultados surpreendentes, desta vês quase oito quilos de maconha foram aprendidos na cidade de Abaeté, Centro Oeste mineiro. Depois de um serviço de inteligência a Policia Civil chegou até as drogas.

Os jovens Investigadores Diego Micael, Renan Oliveira, Caio D'angelis , Emerson Soares, Renato Aparecido, o Escrivão Geraldo Antonio da Cunha mostraram que mesmo com poucos recursos mas com dedicação e empenho é possível apresentar bons resultados para a sociedade que já está cansada de perder seus filhos para as drogas e ver os traficantes enriquecer as custas da desgraça de algumas famílias.
O entusiasmos dos jovens polícias coordenados pela inteligência do Inspetor Robisson Vilaça e do Delegado Geraldo Cardoso trazem o equilíbrio necessário para que uma operação complexa com o combate ao tráfico seja coroada de exito.
A integração em Policia Militar e Polícia Civil  também é fundamental para a eficiência do aparato.
Na primeira operação que resultou na prisão de dois traficantes, as polícias Civil e Militar trabalharam juntas.
Desse jeito o preço da droga em Abaeté vai subir muito, tem base?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Sua casa na visão dos outros,

Sua casa vista por você.
 Sua casa vista por você.







Vista pelo comprador.


Vista pelo banco.

Vista pelo agiota que vai te emprestar o dinheiro par pagar o IPTU.

Sua casa vista pelo avaliador da Prefeitura de Pompéu.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Hipocrisia, antes queridinhos, os Delegados do episódio sem calcinha caem depois da denuncia da Band e dos Blogs



Os antes queridinhos e protegidos da Corregedora Geral, Delegados que retiraram a roupa da colega Escrivã se tornaram um problema para o Governo de São Paulo depois da repercussão que o caso causou, e como é comum nestes casos a instituição a que eles pertencem afirmou que eles são os unicos culpados e os jogaram aos leões, assim funciona a Polícia Civil.

Agora A SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Estado de São Paulo confirmou na noite desta segunda-feira o afastamento dos delegados Eduardo Henrique de Carvalho Filho e Gustavo Henrique Gonçalves que mandaram arrancar as calças e a calcinha  de uma ex-escrivã nua durante uma revista em uma delegacia de São Paulo. As imagens foram gravadas e a informação foi divulgada com exclusividade pelo Jornal da Band e retransmitida pelos blogs Experidiao e Flit Faralizante.
O terceiro delegado de polícia que participou da diligência, Renzo Santi Barbin, não faz mais parte do departamento, segundo informou a secretaria. Além disso, a SSP determinou a instauração de um processo administrativo disciplinar para apurar a responsabilidade funcional de cada um deles, bem como do delegado de polícia Emílio Antonio Pascoal.

O órgão informou ainda que determinou um ofício manifestando perplexidade com o arquivamento do inquérito policial instaurado por abuso de autoridade.
O caso aconteceu em uma delegacia da zona sul de São Paulo, em junho de 2009. A ex-escrivã, acusada de receber propina, é despida na frente de colegas. Durante o ato, ela pede para ser revistada por mulheres. hipocrisia

Ela responde a processo criminal por concussão, que é a corrupção praticada por funcionário público.

Sindicato dos Delegados de São Paulo repudia ação da Corregedoria.

REPÚDIO AOS ATOS PRATICADOS PELA CORREGEDORIA
NOTA DE REPÚDIO
O SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO – SINDPESP, VEM A PÚBLICO, REPUDIAR OS ATOS PRATICADOS PELA CORREGEDORIA DA POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO.
– A CORREGEDORIA DA POLÍCIA CIVIL DE SÃO PAULO POSSUI SUAS ATRIBUIÇÕES PAUTADAS NA LEI, OU SEJA, PARA COMBATER O QUE HÁ DE ERRADO NA POLÍCIA, DEVE, SEMPRE, OBEDECER RIGOROSAMENTE A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO E TODA A LEGISLAÇÃO VIGENTE, PRESERVANDO OS PRINCÍPIOS DA LEGALIDADE E DA MORALIDADE, DENTRE OUTROS;
– É DO CONHECIMENTO PÚBLICO QUE COM O ADVENTO DO INCONSTITUCIONAL DECRETO No 54.710 DE 25 DE AGOSTO DE 2.009, O QUAL RETIROU A CORREGEDORIA DO ÂMBITO DA POLÍCIA CIVIL E VINCULOU-A DIRETAMENTE A SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA, A CORREGEDORIA PASSOU A TER “INDEPENDÊNCIA” E MAIS FORÇA;
– COM TANTO PODER, E, TEORICAMENTE, SEM NINGUÉM PARA CONTROLAR ESTE PODER, DEU-SE INÍCIO A UMA SÉRIE DE “BOATOS” QUE ABUSOS ESTARIAM SENDO COMETIDOS PELO ÓRGÃO CENSOR, PORÉM, NADA, OU QUASE NADA CHEGAVA COMPROVADAMENTE AO CONHECIMENTO PÚBLICO;
– ENTRETANTO, O VÍDEO EXIBIDO POR PROGRAMAS JORNALÍSTICOS DE TELEVISÃO, E QUE AGORA RODA O MUNDO PELA FORÇA DA INTERNET, DEIXA MUITÍSSIMO CLARO E EVIDENTE OS EXCESSOS COMETIDOS POR AQUELE ÓRGÃO;
– NÃO VAMOS ENTRAR NO MÉRITO DO SUPOSTO CRIME PRATICADO PELA ESCRIVÃ, POIS PELO QUE MOSTRA O VÍDEO, NOTA-SE CLARAMENTE, NO MÍNIMO, QUE OS CORREGEDORES, PRECISAM, URGENTEMENTE, SOFRER UMA CORREÇÃO,

Enquanto no Rio as UPP ocupam as favelas em Minas as policias brigam entre si e as favelas se transformam em territorio sem lei.



A Polícia Militar (PM) invadiu, na noite deste domingo (20), por volta das 20h30, o Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os moradores das vilas receberam os militares a pedradas, como forma de expulsá-los do local. Pouco tempo depois, policiais da Tropa de Choque também chegaram e ocuparam o morro. Tiros de bala de borracha foram disparados e algumas pessoas ficaram feridas. Também houve explosões de bombas de efeito moral. No meio da confusão, mais um coletivo foi queimado pelos manifestantes. Neste sábado (19) dois foram incendiados.
Desde sábado (19), um clima de revolta e confusão tomou conta do morro depois que dois homens foram mortos pela PM.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Escrivães de todo o pais indignados com o tratamento dado a sua colega.

As imagens divulgadas pelo Rede Bandeirantes falam por si só. A sensação nos qual fomos tomados , inicialmente, foram de perplexidade e assombro . Ao término da reportagem, resta-nos o sentimento de revolta. A ação desastrosa e aviltante praticada pelos delegados EDUARDO HENRIQUE DE CARVALHO FILHO E GUSTAVO HENRIQUE GONÇALVES, da Corregedoria de Polícia de São Paulo, só pode ser comparada as vistas na base americana de Guantanamo. O que era para se tornar uma prisão de rotina, transforma-se , aos olhos de todos, em flagrante desrepeito aos direitos humanos. As autoridades responsáveis pela prisão tinham o controle e inúmeras possibilidades de conseguir a evidência que incriminaria a servidora, no entanto, escolheram o modo mais cruel e degradante para obtê-la. Ao despi-la, de forma violenta, conseguiram não só a exposição física, mas também seu ultraje, o constragimento total. A cena do corpo semi nu da policial ganhe ares de show mediático macabro. Os responsáveis se exaltam e exibem o troféu , as notas já previamente copiadas. Tudo ganha um contorno de um reality show sem qualquer ética ou moral.
A sensação que se tem após assistida a filmagem é a de se ter presenciado uma cena de estupro. Essa é a exata sensação.
Um funcionário que comete um deslize, deve certamente ter sua punição, seguindo todas as diretrizes que até os piores, mais repugnantes criminosos tem direito e as recebem. TODOS funcionários públicos que praticam uma infração, neste caso da Polícia Civil, devem terem, após comprovados os fatos, sua punição, independente dos cargos e funções que ocupam. Interessante seria que tamanha truculência e desejo por “justiça” observadas, se dessem tabém não somente na base, mas também no topo dessa pirâmide de hierarquia e corrupção.
Nós, da diretoria do Sindicato dos Escrivães de Polícia de São Paulo, repudiamos esse triste episódio e conclamamos toda a comunidade policial, as demais associaçõe de classe, as entidades dos direitos da mulher, dos direitos humanos para discutirmos a realização de um ato de protesto e outras ações.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Presidência da Câmara Municipal de cidade do Maranhão e disputada na base do pescoção.

  Vereadores de Codó, no interior do Maranhão, trocaram socos e pontapés durante a sessão para a escolha do presidente da câmara nesta sexta-feira. 12345

Corregedoria da polícia de São Paulo classifica Delegado que tirou a calça de Escrivã de "corajoso e destemido".

DE SÃO PAULO
A Corregedoria da Polícia Civil arquivou o inquérito que investigava dois delegados suspeitos de abuso de autoridade durante a prisão de uma escrivã de polícia que atuava no 25º DP, no bairro de Parelheiros (zona sul de SP).
Conforme a denúncia, os policiais Eduardo Henrique de Carvalho Filho e Gustavo Henrique Gonçalves, ambos da Corregedoria, tiraram a calça e a calcinha de uma escrivã que era investigada pelo crime de concussão, quando um servidor exige o pagamento de propina.
Imagens que foram divulgadas ontem pelo blog do jornalista Fábio Pannunzio (www.pannunzio.com.br) mostram que durante a prisão em flagrante da escrivã os delegados determinaram que a mulher tirasse a roupa para checar se ela havia escondido dinheiro de propina dentro da calcinha.
O caso aconteceu em junho de 2009. Ao longo dos 12 minutos do vídeo, a escrivã diz que os delegados poderiam revistá-la, mas que só retiraria a roupa para policiais femininas. Mas nenhuma investigadora da corregedoria foi até o local para acompanhar a operação.
SEM ROUPA
Ao final, o delegado Eduardo Filho, uma policial militar e uma guarda civil algemam a escrivã retiram a roupa dela e encontram quatro notas de R$ 50. A escrivã foi presa em flagrante e, após responder a processo interno, acabou sendo demitida pela Polícia Civil. No mês seguinte, seus advogados recorreram da decisão.
"Foi um excesso desnecessário. Ela só não queria passar pelo constrangimento de ficar nua na frente de homens", disse o advogado Fábio Guedes da Silveira.
Para a Corregedoria, não houve excessos na ação dos dois delegados. Segundo a corregedora Maria Inês Trefiglio Valente, eles agiram "dentro do poder de polícia".
O promotor Everton Zanella foi ouvido no inquérito que investigou os policiais e disse que a retirada da roupa foi uma consequência do transcorrer da operação.
"Houve apenas um pouco de excesso na hora da retirada da calça da escrivã, todavia, em nenhum momento vislumbrei a intenção do delegado que comandava a operação de praticar qualquer ato contra a libido da escrivã", disse o promotor no inquérito.
PROCESSO
Além de ser expulsa, a escrivã responde a um processo criminal. A primeira audiência do caso só deverá ocorrer em maio, conforme seus advogados.
Os delegados Eduardo Filho e Gustavo Gonçalves continuam trabalhando na Corregedoria da Polícia Civil. A corregedora os caracterizou como policiais "corajosos e destemidos". A Folha não localizou os dois policiais neste sábado para comentar o assunto.

Operação Folia sem Drogas prende traficante em Pompéu.



Uma operação exitosa da Polícia Civil de Pompéu, centro oeste de Minas, batizada de Folia sem Drogas tirou de circulação uma grande quantidade de Crack na noite desta sexta (18). Um homem também foi preso e confessou que a droga seria vendida no Carnaval em Pompéu. Depois de um intenso trabalho de inteligência onde o suspeito era monitorado, e com o apoio do Consep, os policiais deram um bote certeiro e prenderam um homem em flagrante com a droga.
As famílias de Pompéu agradecem.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Delegado arranca roupa de Escrivã em Delegacia.

O Jornal da Band mostrou um caso de humilhação, no qual delegados e policiais de São Paulo tiraram à força a roupa de uma colega, em busca de provas que supostamente a incriminariam. O fato aconteceu no 25° Distrito Policial em Parelheiros, zona sul de São Paulo.

A reportagem teve acesso com exclusividade a imagens gravadas pela corregedoria da polícia civil, que mostram um suposto caso de corrupção praticado por uma ex-escrivã. Segundo a denúncia, a policial teria recebido R$ 200 para ajudar um acusado a se livrar de um inquérito. A investigação transcorria normalmente até que o delegado Eduardo Henrique de Carvalho Filho, decide que a acusada seria revistada. Ela não se recusa, mas pede a presença de policiais femininas.

O pedido é feito nada menos do que 20 vezes em pouco mais de 12 minutos. Além do delegado Eduardo, está na sala o delegado Gustavo Henrique Gonçalves - que também é da corregedoria da Polícia Civil - e o delegado titular da delegacia, Renato Luiz Hergler Pinto, chefe da acusada.

Em vários momentos da gravação, feita pelos próprios policiais, a acusada pede a ajuda do chefe. No vídeo é possível identificar pelo menos seis homens e duas mulheres, todos agentes públicos.

Os policiais não se importam com a presença da câmera e mesmo sem a policial se recusar a ser revistada, ela é algemada a força e depois é despida.

As imagens foram feitas em 2009, mas foram mantidas em sigilo pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A suspeita ainda não foi julgada, mas mesmo assim, foi expulsa da polícia civil. Para a corregedoria a ação dos envolvidos foi correta e moderada. Ninguém mais foi punido ou processado.

Agora, o Ministério Público está investigando a conduta dos policiais e já cobrou explicações da corregedora e do Secretário Estadual da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto.

Extra: Policia Civil de Pompéu acaba de prender um traficante com grande quantidade de drogas.

Neste ritmo a droga em Pompeu e Abaeté será inflacionada pela lei da oferta e da procura.
Acabamos de receber a informação (as 21 horas do dia 18/02/2011) de que foi feita uma prisão de traficante e uma apreensão de grande quantidade de drogas em Pompéu.

Mais tarde teremos novas informações aqui no blog.

Enquanto PM briga com a PC em Belo Horizonte no interior trabalham em conjunto e apresentam resultados para a sociedade.

Abaeté da o exemplo de que a integração das polícias civil e militar é possível e que traz grandes resultados para a sociedade.

Na ultima quinta feira grande quantidade de drogas foram apreendidas na cidade de Abaeté, centro Oeste de Minas. maconha, cocaína e crack foram encontrados enterrados em um quintal e dois homens foram presos.
O bom resultado foi alcançado graças a integração que existe entre Polícia Militar e Polícia Civil  que existe de fato em muitas cidades do interior de Minas. Ao contrario do que tem ocorrido na capital do estado onde Policiais Civis e Militares tem resolvido suas questões na base do pescoção e de armas em punho, em Abaeté, Pompéu, Bom despacho e outras cidades as polícias tem trabalhado com integração como se fossem uma só família. O resultado é sentido pela população que vê crimes serem apurados mesmo com pouquíssimos recursos materiais e humanos. O numero de policiais per capita na região metropolitana é quase dez vezes mais do que no interior mas mesmo assim o interior ainda é mais seguro "enquanto policiais  de BH enxergam seus colegas da outra corporação como inimigos e fazem de tudo para desmanchar o que o outro faz aqui no interior trabalhamos em cooperação e nos preocupamos só com os marginais e não com o outro colega, isso possibilita um potencialização dos resultados" afirmou um policial civil da DP de Abaeté.
O sociedade ganha com a paz e os bandidos torcem para que as policias os esqueçam e continuem se digladiando e resolvendo suas diferenças na base do sopapo.
Quem sabe se os Chefes das corporações não transferissem todos os seus brigões para o interior a calmaria não retornasse as instituições.

 Quem viver verá.

Os P2, que são os descaracterizados da PM, participaram da operação mas seu comandante  pediu que as fotos de seus integrantes não aparecessem no blog

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Pânico no Oeste: Assaltantes invadem duas Agências bancárias em Abaeté.


A cidade de Abaeté teve um dia de pânico as Agencias do Siccob e da Caixa Federal foram assaltadas. Na Agencia do Sicoob os ladrões foram mais discretos, entraram, mostraram as armas sob a camisa  e ordenaram que o gerente enchesse as sacolas com dinheiro e cheques. Já na Agência da Caixa Federal os bandidos rederam os vigilantes e os clientes. Sob a mira das armas clientes entraram em pânico.
A policia fez um cerco e o veiculo usado no assalto foi encontrado, era um carro roubado em Contagem na região Metropolitana de Belo Horizonte. Os assaltantes ainda não foram capturados.








 Veja o vídeo das câmeras de segurança do Banco com a ousada ação dos assaltantes .

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ATUAÇÃO DE PESO CONTRA O CRIME.

Depois de uma boa atuação no Corinthians, Ronaldo Fenomeno tem seguidores dentro da própria PM.

Gorditos na Polícia Militar, uma realidade
A dificuldade em manter a forma física atrapalha o desempenho no trabalho? Afinal, correr atrás de bandidos não é uma tarefa das mais fáceis. Exige esforço, habilidade e muito preparo físico.

Cenas flagradas pela reportagem durante um ensaio para receber novatos mostram que muitos policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar de Maringá estão acima do peso. Enfileirados em posição de sentido é possível observar que vários PMs estão com aquela barriguinha saliente. Em uma outra situação, um policial trabalhando no Centro da cidade, com a forma física bem longe do ideal.

Dever cumprido: Policia prende possiveis assassinos de rapaz que teve corpo quiemado


A Pólicia de Nova Serrana durante rastreamento identificaram os possíveis autores do crime, sendo preso o suspeito E.R.S., 22 anos de idade, o qual possui várias passagens pela Polícia por crimes diversos e apreendido os menores,15 anos, e 17 anos, recentemente saído de uma medida Educativa onde ficou recolhido por 100 (cem) dias e também com inúmeras passagens pela Polícia por roubos, furtos e tráfico de drogas, dentre outros.
Durante a prisão/apreensão dos suspeitos, foi identificado um 4º indivíduo que também teve participação no crime, sendo o autor W.B.J., contudo, o mesmo ainda não foi localizado. Conforme apurado, a princípio o crime foi motivado por uma desavença entre os autores e a vítima os quais estariam consumindo drogas no local onde o corpo foi encontrado. Os três suspeitos foram conduzidos a Depol onde segundo o delegado de plantão todos seriam autuados.

Comissão Eleitoral Regional 2011 do SINDPOL/MG reúne-se com representantes de chapas, Perito Criminal é candidato a Diretor Seccional.

Na tarde de sexta feira (11/02), a Comissão eleitoral Regional 2011 do SINDPOL/MG, composta pelo Secretário Geral, Cláudio de Souza, Diretor de Assuntos do Interior, Geraldo Chaves e o Diretor de Mobilização, Adilson Bispo se reuniu com os representantes das chapas inscritas para discussão do pleito e saneamento do processo eleitoral.
Na próxima terça feira (15/02), deverá ser divulgada a lista com os nomes dos candidatos aos cargos de Direção Regional e Seccional Sindical.
 Compareceram à reunião os representantes das chapas que concorrem às seções regionais de Divinópolis, Pouso Alegre e Governador Valadares, sendo eles Experidião, Valim e Dalquio, respectivamente.
Os candidatos a diretor regional de Juiz de Fora e Uberlândia, Dr. Marcelo Armstrong e Cezarino Ituassu, justificaram a ausência.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

A policia deve ou não usar força letal contra criminosos em fuga?


Por José Cirilo de Vargas.

Estimado Amigo e companheiro Dr. Experidião,
animado pelo título de penalista, que o Sr. generosamente me concede, sem que nunca tenha eu feito por merecer a distinção, criei coragem para retomar o assunto publicado hoje, sobre o disparo de arma contra pessoa em fuga.
O assunto ensejou largas disputas científicas para além dos Alpes, na Alemanha, onde se buscam as fontes mais limpas da ciência penal. Permita-me o Sr breve digressão exclusivamente jurídica. Como é sabido, a Alemanha, ao perder a segunda guerra, foi dividida em quatro zonas de ocupação, quais sejam: soviética, americana, inglesa e francesa.Na zona de influência soviética foi constituída uma república, dita comunista, ou oriental, ou seu nome verdadeiro RDA (República Democrática Alemã).
Nas três outras zonas  (inglesa, americana e francesa) fundou-se a República Federal, ou Alemanha Ocidental, ou o nome que o leitor lhe queira dar (o correto é Bundesrepublik
Deutschland). O País ficou, assim, dividido em dois: uma parte oriental e outra, ocidental.
A parte oriental, cuja capital era Berlin, não se beneficiou dos programas de reconstrução oferecidos pelo Ocidente. A República Federal, em contraste com a Oriental, obteve  notável pujança econômico-financeira e altíssimo nível de vida. O fato despertou o desejo migratório para essa parte altamente industrializada e rica.
Com isso, e muitas vezes por razões políticas e ideológicas, os habitantes do Leste tentavam, aos milhares, "fugir" para o outro lado. Contudo, havia a proibição, quase absoluta, de deixar o país.
Começou, então, a imigração ilegal, mediante o cruzamento clandestino da fronteira entre as duas Alemanhas. Em apenas dez anos, haviam "escapado" pelo menos um milhão e meio de pessoas, o que representava, na época, 15% da população. Apenas nos primeiros meses de 1961 cruzaram a fronteira mais de 160.000 habitantes.
O fato criou verdadeira catástrofe demográfica, obrigando a que as autoridades orientais tipificassem como delito a saída sem permissão.
A par da proibição legal e tipificada como crime, o regime comunista edificou verdadeiros obstáculos físicos na fronteira: valas, alambrados, postos de observação, dispositivos de disparo automático, etc. Chegou-se ao máximo de ser construído, em 1961, o chamado e famoso "Muro de Berlin", isolando completamente os setores ocidentais da cidade do setor soviético e territórios sob soberania alemã oriental. Selou-se uma linha divisória entre os dois países, mesmo sendo, ambos, alemães.
Tais medidas contiveram parcialmente o êxodo. Todavia, documentos oficiais provam a morte de pelo menos setecentos alemães, tentando fugir. Até que, em, novembro de 1989 (por sorte e coincidência estava eu na cidade e guardo pequeno pedaço do Muro), ele caiu. E agora vem a parte jurídica. Os guardas, armados de sub-metralhadoras, tinham ordens de atirar. Essa Guarda, cujos soldados eram chamados "Mauerschützen" (atiradores do Muro), não tinha, porém, um dispositivo de lei que a obrigasse a disparar. Havia, apenas, ordens. Todos sabem que ordem ilegal não se cumpre.
Vindo a reunificação, instauraram-se procedimentos policiais-judiciais para apuração de possível responsabilidade penal daqueles que atiraram.
Dividiram-se os entendimentos expressados nas sentenças. Em rigor científico, não se tratava de cumprimento de dever legal, que é causa de exclusão da ilicitude. Havia, no entanto, ordem de superior hierárquico no plano estritamente militar, excludente da culpabilidade, por inexigibilidade de conduta diversa.
Não existem ações penais condenatórias idênticas. O Órgão Judicial tem o dever de examinar caso a caso.
A opinião pública mundial inclinou-se a considerar "desculpável" a ação de jovens guardas
não profissionais, que apenas cumpriam o serviço militar obrigatório e tidos como menos experientes que um profissional.
Consideremos apenas um caso, por razões de espaço em sua página.
Na noite de dois de fevereiro de 1972, dois "Mauerschützen" perceberam que um cidadão tentava atravessar nadando o rio Spree, que separa as duas zonas da cidade. Deram-lhe voz de alto e efetuaram alguns disparos de advertência. Em vão. Aí, a quarenta metros de distância, dispararam seus fuzis automáticos contra o fugitivo. Uma bala colheu a cabeça do nadador, que acabou morrendo afogado. Os atiradores receberam prêmios e homenagens. Vinte anos depois foram condenados por homicídio pelo Tribunal de Berlin, com suspensão da execução da pena (Juristenzeitung, 1992, pp 691-696).
Existem também dezenas de decisões conhecidas, proferidas contra os mandantes.
Repetindo: havendo lei, é cumprimento de dever legal, excludente da ilicitude. Em casos de ordem de superior hierárquico pode haver, quando muito, uma "melhora" da responsabilidade penal.
Mesmo não sabendo se o assunto ainda comporta esse gênero de meditação que faço, envio-lhe o texto, com a amizade e a admiração de Cirilo Vargas.

* José Cirilo de Vargas é Professor da Escola de direito da UFMG e autor de diversos livros de direito penal. Nascido em Abaeté e Cidadão Honorário de Pompéu - MG.

 

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Mais uma extirpação da já conhecida banda podre da polícia carioca.



O Rio de Janeiro está seguindo a risca o modelo implantado em Ney York pelo então Prefeito Rudof Juliane, melhorou o salários dos policiais e agora está realizando uma faxina na corporação. Segundo o Sindpol um Delegado no Rio vai passar a receber o mesmo salário de um Promotor de Justiça, em torno de 26 mil reais por mês, em Minas um Delegado ganha em torno de 4 mil reais.
Que o exemplo do Rio, a terra do BOPE seja seguido pelo demais estados da federação. Ainda dá tempo de evitar o aprodecimento do que ainda resta sadio das corporações policiais.
Que Deus ilumine nossos governantes.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Pai se desespera ao perder o segundo filho para o tráfico de drogas em Nova Serrana.

 Imagens muito fortes, cuidado.
Pai se desespera ao encontrar o filho morto com um tiro na nuca e queimado com gasolina em Nova Serrana nesta quinta (10)..
É seu segundo filho morto em menos de 30 dias pelo tráfico de drogas. 
A polícia está no encalço dos assassinos.
 .
Depois de denúncias, por volta de 07:10 horas, a Polícia Militar em Nova Serrana compareceu na zona rural do município, próximo ao bairro Romeu Duarte, onde havia um corpo no local.
Durante a varredura pela mata, foi encontrado próximo o corpo de um jovem de 18 anos, parcialmente carbonizado. A perícia técnica foi acionada e foi constatado uma perfuração proveniente de arma de fogo na região posterior da cabeça, ferimentos generalizados pelo corpo e fratura da perna esquerda.
Familiares da vítima afirmaram que ele era usuário de drogas e que tinha amigos também envolvidos com o tráfico, porém não foi apontado nenhum suspeito.
Cerca de 10 horas depois de encontrarem o corpo, a polícia chegou aos possíveis autores do crime. Foram detidos um jovem de 22 anos, que possui várias passagens pela Polícia por crimes diversos. Também foram apreendidos dois menores com 15 anos e 17 anos.
O menor de 17 anos está recém saído de uma medida Educativa onde ficou recolhido por 100 dias e também com inúmeras passagens pela Polícia por roubos, furtos e tráfico de drogas.
Foi identificado que uma quarta pessoa também teve participação no crime, porém ele não foi detido. A polícia apurou que o crime foi motivado por uma desavença entre os envolvidos e a vítima que estariam consumindo drogas no local onde o corpo foi encontrado.
Os três suspeitos foram conduzidos a Depol onde segundo o delegado de plantão todos seriam autuados.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Vovô armado em Nova Serrana.


Quem esperada encontrar uma bengala se assustou ao se depara com um senhor de 58 anos de idade foi pego com uma arma pistola 9 mm na cintura , no bairro Santa Luzia. Procurado pela polícia, o homem confirmou a posse e apresentou o registro da arma. No momento da abordagem, o comerciante estava com uma outra arma na cintura municiada com 15 cartuchos intactos. Por causa disso, o homem foi detido e a arma ilegal e registro foram apreendidos.
 
Nova serrana: A capital mineira do calçado esportivo e do Crack:

Depois de uma denúncia anônima, policiais militares se dirigiram para o bairro André de Freitas, onde um grupo embalava drogas que seriam comercializadas. No apartamento onde o tráfico era feito, policiais encontraram a porta entreaberta e o som em volume muito alto. Em um dos quartos do apartamento, dois homens ensinavam uma criança de 8 anos a embalar pedras de crack.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Policial civil é baleado em assalto e morre no hospital, em Belo Horizonte

Segundo a corporação, ele trocou tiros com dois assaltantes.
Um deles ficou ferido e foi preso ao procurar atendimento médico.

Um policial civil foi baleado ao reagir a um assalto e morreu no hospital nesta terça-feira (8), em Belo Horizonte. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, ele foi abordado por dois assaltantes durante a madrugada, quando estava dentro do carro na Avenida Otacílio Negrão de Lima, na região da Pampulha.

O policial trocou tiros com os suspeitos, que fugiram. Um deles foi preso horas depois no Hospital Municipal de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, após dar entrada com ferimento de tiro. De acordo com a Polícia Civil, foi encontrada com ele uma correntinha que era usada pelo policial. O segundo assaltante é procurado.

Segundo a assessoria de imprensa do Hospital Risoleta Tolentino Neves, o policial deu entrada com três tiros no tórax, chegou a ser encaminhado para o bloco cirúrgico, mas não resistiu. O corpo, segundo o hospital, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal.

Segundo os colegas do policial morto, em breve os assaltantes farão compania  ao policial.

 

Ladrões de banco fogem para dentro do Batalhão da PM de Bom

Dois homens que tentavam arrombar o Banco Itau em Bom Despacho, centro oeste de Minas forma surpreendidos pela policia e ao tentar se livrar da polícia invadiram  a Vila Militar em Bom Despacho e em seguida teve o pneu estourado e parou depois de bater numa lixeira. O homem fugiu a pé e os militares continuaram as buscas numa mata próximo do local onde o veículo foi abandonado.
De imediato, foi acionado o fechamento de todo o perímetro da mata e feita uma varredura no interior do local, com a colaboração do canil do 23º Batalhão da PM em DIVINÓPOLIS, de onde vieram uma viatura, três militares e um cão.
Durante as buscas foi localizado o fugitivo. Durante a ação policial foram apreendidos 2 aparelhos localizadores tipo GPS, 1 carregador de GPS, 1 chave de fenda, 1 lanterna, 2 blusas de frio, 1 mala de viagem, 1 marreta, 1 pé de cabra, maçarico, 2 aparelhos celulares, documentos, 3 pedaços de lona preta, 1 rolo de fita adesiva, 1 veículo VW/FOX, dentre outros materiais.
Os homens foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil onde foi feita prisão em flagrante deles.
Durante o fechamento da ação policial, foi dito que outras duas pessoas estavam envolvidas no episódio. Porém até o momento, o jovem de 18 anos e a mulher identificados pelos detidos não foram encontrados.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Caos na segurança em MG e no Brasil

Com 7 Delegados a dez anos atrás a delegacia da cidade de Bom Despacho  recebia dez vezes menos ocorrência do que hoje e conta agora com três Delegados sendo um o Regional.  Chega a ser desumano a situação destes profissionais que tem de concluir e relatar 17 inqueritos por mês e mais 30Termos Circunstanciados de Ocorrências que são os pequenos delitos. Enquanto se tem em outros paises uma equipe de quatro policiais investigando um único crime até sua devida apuração aqui em Minas um Investigador investiga 2 crimes simultaneamente, faz intimações e ainda tem de cuidar dos presos da cadeia pública, parece piada mas é a triste realidade do servidor da Segurança Publica em nosso estado.

Sem papel para trabalhar.

Na DP de Pompéu os policiais tem de deixar os afazeres normais para mendigar por papel e tinta para as impressoras, quando ligam para o Departamento de Policia ouvem a insinuante frase "peça para o Prefeito ai da Cidade e se conseguir muitos manda para nós aqui pois também não temos" e ainda para compensar tudo isso, enquanto um Promotor de Justiça ganha seus 25 mil reais por mês nosso Delegado mineiro ganha em torno de 4 mil reais.
Precisamos urgentemente de alguém que promova  verdadeiramente a justiça em nossa Minas Gerais sob pena de ser condenado a passar seis meses como Delegado em uma cidade complicada como Pompéu.


segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sabado agitado em Bom Despacho, acidente e venda de ingressos falsos para show de Fernando e Sorocaba no parque de Exposições

Um acidente próximo a fábrica de tecidos em Bom Despacho chamou a atenção de curiosos que passavam pelo local nesta sábado (5). Um homem foi preso suspeito de conduzir seu veiculo embriagado mas se recusou a fazer o teste de embriagues.

Cambista Paulista preso

Outro homem de São Paulo foi preso pro vender ingressos para o Show de Fernando e Sorocaba que aconteceu no parque de exposições da cidade no sábado ultimo. Segundo a vítima ele vendeu ingresso como se fosse de camarote mas que na verdade era de pista.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Integração da PM com a PC em Minas é semelhante a das torcidas Máfia Azul e Galoucura.

Uma das coisas mais atrasadas em nosso pais é o modelo falido de segurança publica onde as Polícias  Civil e Militar se preocupam mais em atrapalhar o trabalho uma da outra do que de dar efetiva proteção ao cidadão, resultado, as pessoas de bem tem de transformar suas casas em fortalezas e contar com a proteção Divina.
Em Minas, nas cidade menores, sempre há uma Delegacia da Policia Civil e um Destacamento da PM, e um Delegado e um Tenente para comandar cada uma das instituições. Nas cidade maiores há os Batalhões, e as Delegacias Regionais, lá toda uma estrutura burocrática comandada por um Delegado regional e por um Tenente Coronel. Nas cidade ainda maiores a estrutura ainda é muito mais complexa, sempre em dobro para servir as duas polícias.
A quem não interessa a unificação das polícia já que certamente traria inúmeros benefícios ao  cidadão?
Seriam inúmeros cargos burocráticos e de chefia que seriam extintos. Muitos Coronéis e Delegado Gerais perderiam seus privilégios como motoristas, carros oficiais a disposição, combustível a vontade e imo veis funcionais dentre outros e teriam de deixar o ar condicionado de seus gabinetes para ir para rua investigar ou prevenir os crimes.
Como diria nosso Boris Casoy: é uma vergonha!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Deputado leva uma surra de policial.

De nada valeram os 62.310 votos recebidos por Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, que o elegeram deputado estadual pelo PSDB na última eleição. Na madrugada de sexta-feira, ele apanhou como qualquer cidadão que denuncia abuso policial em São Paulo. A agressão ocorreu após um investigador cortejar a mulher do parlamentar.




O deputado, que toma posse em 15 de março, estava com a mulher na casa noturna Vila Country, na zona oeste, quando ela foi assediada pelo investigador Pedro Henrique Brustolin dos Reis, de 29 anos, que trabalha no 98.º Distrito Policial, no Jardim Miriam, na Zona Sul. A mulher mostrou a aliança ao policial. O deputado, que estava sentado em uma mesa, percebeu o que ocorria e se levantou.



Ramalho contou que, ao chegar, o policial se desculpou. Disse que não sabia que Viviane era casada. “Quando a apanhei pela mão para dançar, o outro veio e me deu um murro”, conta o político. O outro seria o investigador Otávio Bruno Iokota Fabricator, de 29, que trabalha na Delegacia do Aeroporto de Congonhas. “Caí. Desmaiei. E continuaram me chutando. Também bateram na minha mulher”, afirmou o deputado. O espancamento só parou quando os seguranças separaram os envolvidos.



Na Corregedoria da Polícia Civil, os investigadores disseram que apenas reagiram à agressão, que Viviane havia atirado um copo com bebida, e o deputado havia dado um soco em um deles. Além dos policiais, também foi detido um amigo deles, o comerciante Alexandre de Amaral Alves, de 30 anos. Como o crime supostamente cometido é de lesão corporal, a Corregedoria fez um Termo Circunstanciado para, em seguida, liberar os acusados.

Penalista questiona posicionamento "linha dura" do Vereador Experidião.

Há uns dois ou três dias, sua página recolheu, aqui e acolá, excertos de uma portaria do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, sobre questões relacionadas às atividades dos funcionários públicos responsáveis pela aplicação da lei.
Primeiramente, não foi veiculado o conteúdo integral do documento, mas apenas o que pode ser tido como embaraço ao exercício da função policial.
Estima, então, o Sr ser lícito ao responsável pelo cumprimento da lei atirar, com que objetivo seja, em pessoa em fuga?
Nem mesmo a um preso que tenta a evasão, após a prática de um fato ilícito e típico, não é dado a ninguém pará-lo com um projétil de arma de fogo.
Na maioria das vezes trata-se de homicídio tentado ou consumado, com a qualificadora do recurso que dificulta ou torna impossível a defesa de quem está correndo em fuga. Além de tudo é crime hediondo.
No ano passado, houve um crime contra o patrimônio na cidade de Biquinhas, comarca de Morada Nova de Minas. Os policiais da cidade comunicaram-se por telefone com as prováveis rotas de fuga. Foram eles detidos e presos em Pompéu, com o uso do simplícimo expediente de bloquear a estrada. Recambiados à sede da comarca, foram julgados, condenados e cumprem pena.
Teria sido melhor executá-los pelas costas, caso a Polícia conseguisse? Parece ser esse
o seu pensamento, para grande surpresa minha.
A Sra Secretária de Direitos Humanos da Presidência esclarece, passados muitos dias da publicação, que os redatores da portaria se basearam no "Código de Conduta para os funcionários responsáveis pela aplicação da lei", que a ONU vem adotando desde 1979.
Quanto ao uso de algemas o assunto é controvertido desde 1981, quando se iniciavam os debates sobre um documento do prof. René Ariel Dotti, da Universidade do Paraná. Era o embrião daquilo que veio a transformar-se na LEP (Lei de Execução Penal. n. 7.210/84).
No VI Congresso Nacional de Direito Penal e Ciências Afins, reunido em Belo Horizonte, e de que tive a honra de secretariar e participar de painéis ao lado do prof. José Frederico Marques, houve um consenso entre os participantes segundo o qual o uso de algemas só se justifica quando houver necessidade máxima. Desse Congresso participaram, entre outros, Heleno Cláudio Fragoso, Ariosvaldo de Campos Pires, Jair Leonardo Lopes, Miguel Reale Jr., Paulo da Costa Jr., Raul Chaves, Everardo da Cunha Luna, Benjamim de Morais Filho, Marcos Afonso de Souza, Desembargadores, Procuradores de Justiça, Autoridades Policiais, Diretores de Penitenciárias, Promotores Públicos, Juízes, advogados, etc.
Foram pessoas altamente qualificadas.
Nos dias que passam, até mesmo guardas municipais portam algemas, além de cassetetes, como se policiais militares fossem.
Qualquer prefeito pode ter sua guarda e equipá-la com algemas. Em quatro décadas de foro criminal, presenciei pouquíssimos casos em que o acusado foi ouvido algemado.
Não sei se o seu espaço no blog permitirá que me alongue um pouco mais.
Todavia, não consigo calar-me quando o Sr afirma textualmente que as disposições da portaria agradaram a "meliantes do mundo todo" aprontando malas para viajar a nosso País, "um paraíso tropical dos bandidos". E, ilustrando o texto, publica fotografia de um cidadão italiano, cuja extradição foi negada pelo Governo Federal.
Acho que nessa passagem o blog presta um desserviço à Nação. Como se sabe, a extradição é a entrega de um cidadão a um Estado Nacional requerente, para aí ser julgado, ou cumprir pena, caso sentença condenatória tenha passado em julgado. Houve o exame indispensável do pedido pelo Supremo; a cúpula do Judiciário passou à responsabilidade do presidente da República a decisão de entregar, ou não.
Tenho para mim ser preferível ver um cidadão culpado e livre  a um outro, inocente, mas condenado.
A Imprensa deve ter liberdade de expressão. Contudo, se o responsável pela publicação não conhece do assunto, deve procurar um especialista.
O Sr., estranhamente, chama de "homicida" o italiano, cuja extradição foi negada. Particularmente não conheço os autos. Mas a Constituição cidadã, de outubro de 88, consagra o princípio da não culpabilidade ou da presunção de inocência..
Além do mais, parece estar sendo perseguido politicamente na Itália.
Pelo o que foi escrito, o Sr o entregaria a um possível tribunal de exceção, se Presidente fosse. Para tristeza de seu leal amigo e companheiro, Cirilo Vargas.

José Cirilo de Vargas é Professor da UFMG e autor de diversos livros de Direito Penal.