Postagem em destaque

Morada Nova de Minas dá exemplo de Segurança Publica.

GM de Morada Nova no quartel da PM da Cidade A pequena Morada Nova de Minas cidade com 8500 habitantes no Centro Oeste de Minas pode ser...

segunda-feira, 16 de março de 2015

Policiais civis em greve entregam armas após medida do governo.

Categoria está completando 20 dias de paralisação em todo o estado.

Na capital foram entregues cerca de 600 armas, munições e outros objetos.

Do G1 TO
Armas entregues pelos policiais civis estão em poder do Estado (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Armas entregues pelos policiais civis estão em poder do Estado (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Os policiais civis em greve no Tocantins entregaram as armas na manhã desta segunda-feira (16), em todo o estado. Somente na capital os policiais entregaram cerca de 600 armas, munições e demais objetos que são instrumentos de trabalho da categoria. A entrega aconteceu em frente à Secretaria da Segurança Pública (SSP), na praça dos Girassóis, centro da capital.
Os agentes penitenciários também fizeram a entrega das armas e de todos os outros equipamentos que são usados em operações especiais dentro da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP).
Segundo o Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins (Sinpol), todo o efetivo da polícia vai paralisar as atividades por completo e até mesmo para os serviços essenciais. "Efetuar prisão em flagrante não tem como mais, pois a ferramenta essencial da polícia civil estará retida pelo Estado", afirma o presidente do Sinpol, Moisemar Marinho.
Os policiais tiveram que entregar as armas e outros objetos por conta de uma portaria conjunta entre a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e a Secretaria de Estado da Defesa e Proteção Social (Sedeps), assinada na última sexta-fera (13).
Medida
A portaria determina o retorno imediato ao trabalho de todos os agentes públicos que fazem parte da polícia civil em greve. Caso não ocorra o retorno fica determinado que a categoria entregue as armas num prazo máximo de 24 horas. Se as armas não forem devolvidas a consequência natural será a atuação da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Ministério Público no caso.
Policiais civis entregaram as armas após medida do governo no Tocantins (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Policiais civis entregaram as armas após medida
do governo (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Entenda o caso
Em greve desde o dia 25 de fevereiro, os policiais cobram do governo a equiparação salarial que teria sido concedida ainda em 2007. A medida foi regulamentada em abril de 2014, através da Lei 2.851 e cancelada no dia 11 de fevereiro através de decretos publicados no Diário Oficial do Estado (DOE). Em todo o Tocantins, de acordo com o Sinpol-TO, são aproximadamente 1,6 mil policiais em greve.
O secretário estadual de Administração do Tocantins, Jeferson Barros, anunciou na última terça-feira (10) que os dias não trabalhados dos policiais civis que continuarem em greve serão descontados na folha de pagamento.
A medida do governo foi tomada após uma decisão judicial da desembargadora Maysa Vendramini que considerou a greve ilegal e determinou a volta dos policiais ao trabalho num prazo de seis horas. O sindicato dos policiais foi notificado da decisão, mas mesmo assim a categoria decidiu continuar com a greve e informou que vai recorrer da decisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O espaço de comentários do blog são moderados. Não serão aceitas as seguintes mensagens:
Que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
Com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
Com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas; acusações sem provas, citando nomes de pessoas, se deseja fazer algum tipo de denúncia envie por e-mail que vamos averiguar a veracidade das denúncias, sendo esta verdadeira e de interesse coletivo será divulgada, resguardando a fonte.
Com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
De cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie; Que caracterizem prática de spam;
Fora do contexto do blog.
O Blog do Experidião:
Não se responsabiliza pelos comentários dos freqüentadores do blog;
Se reserva o direito de, a qualquer tempo e a seu exclusivo critério, retirar qualquer mensagem que possa ser interpretada contrária a estas regras ou às normas legais em vigor;
Não se responsabiliza por qualquer dano supostamente decorrente do uso deste serviço perante usuários ou quaisquer terceiros;
Se reserva o direito de modificar as regras acima a qualquer momento, a seu exclusivo critério.